ALUNOS DA UNIDADE DE ESTEIO VISITAM CORSAN

Unidade da Corsan em Canoas visitada pelos alunos
Os primeiros sistemas públicos de abastecimento de água do Rio Grande do Sul surgiram na segunda metade do século 19. É a fase precursora do saneamento, iniciando-se por Porto Alegre (1864) e Rio Grande (1877). Nova etapa seria marcada com a entrada do Estado no equacionamento dos problemas sanitários por meio da criação, em 1917, da Comissão de Saneamento vinculada à Secretaria das Obras Públicas. A sua finalidade era orientar, coordenar e fiscalizar a implantação de sistemas de água e esgotos pelos municípios. Destaca-se a contratação de diversos projetos junto ao sanitarista Saturnino de Brito, que realizou os estudos para o abastecimento de água e dos sistemas de esgotos sanitários de Dom Pedrito, Santa Maria, Uruguaiana, Alegrete, Itaqui, Jaguarão, Cachoeira do Sul e São Leopoldo.
 
Em 1936, a antiga Comissão de Saneamento foi transformada em Diretoria de Saneamento e Urbanismo da Secretaria das Obras Públicas. Pela primeira vez, as prefeituras, através de convênios, concediam ao órgão estadual a responsabilidade direta pela ampliação dos sistemas existentes ou a implantação do serviço. Como consequência, teve início o planejamento do saneamento em nível estadual com a determinação de prioridades, resolvendo, desta forma, muitos problemas críticos de falta de água.
 

 

Nessa época, municípios que haviam contraído empréstimos para a implantação dos seus sistemas de água e esgotos, repassaram a atribuição ao governo do Estado, que absorveu também o ônus dos financiamentos. Foi o caso, por exemplo, de Santa Maria, Cachoeira do Sul e Cruz Alta.
 
O desenvolvimento do Estado e o crescimento das cidades, com o consequente aumento da demanda por saneamento, levaram o Governo do Estado a optar pela criação de uma empresa estatal para essa área.
 
Calha Parshall

 

A Companhia Riograndense de Saneamento foi criada em 21 de dezembro de 1965 e oficialmente instalada em 28 de março de 1966, sendo esta a data oficial de sua fundação. O desafio de proporcionar ao Rio Grande do Sul e a sua população melhor qualidade de vida foi enfrentado pela empresa que surgia. E a imagem do aguadeiro, que precariamente abastecia as populações no início do século, ficou definitivamente na história.
 
Atualmente, a CORSAN abastece mais de 7 milhões de gaúchos. Isto representa 2/3 da população do Estado, distribuídos em mais de 321 localidades.
 
O sistema de abastecimento da cidade de Canoas é feito pela Corsan, de forma integrada com dois outros sistemas: o de Esteio e Sapucaia do Sul, e o de Cachoeirinha e Gravataí, através da captação de água no Arroio do Garças, em Canoas, e no Rio dos Sinos, em Esteio. A água coletada é então levada até 3 Estações de Tratamento de Água (ETA), duas delas em Canoas (ETA Niterói e ETA Base Aérea) e uma em Esteio (ETA Esteio).
Alunos do Curso Técnico em Meio Ambiente em
visita à Corsan de Canoas

 

No final do mês de novembro, os alunos das turmas 3A2 e 3A3 do curso Técnico em Meio Ambiente da unidade Unipacs de Esteio visitaram a Estação de Tratamento de Água – ETA de Niterói, da CORSAN de Canoas. Acompanhando os alunos esteve a Professora Suliany Ordakowski da disciplina de Monitoramento e Controle da Poluição Ambiental. Pela primeira vez eles tiveram a oportunidade de analisar na prática o que já haviam estudado de forma teórica, sobre o tratamento da água para consumo humano. O Técnico Marcio Birk, que orientou a visita, falou sobre a importância da realização de análises físico-químicas e biológicas em amostras de água bruta e tratada, sendo que algumas são realizadas de hora em hora. Foi muito interessante a visita nos tanques da ETE, onde foi possível conhecer todas as etapas do tratamento, desde a captação. Também houve a oportunidade de conhecer uma Calha Parshall em funcionamento, durante a captação da água, que é realizada no Arroio das Garças. A visita foi extremamente importante para os futuros técnicos em meio ambiente, que desta forma extrapolam o ambiente de sala de aula e mantém contato com a realidade da profissão.
 
Fonte: www.corsan.com.br (acesso em 04.12.12)
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *