O PRAZO DE VALIDADE DAS CONSTRUÇÕES

No Brasil não há cultura de inspecionar periodicamente
estruturas de pontes e prédios
Assim como o corpo humano, as estruturas de prédios e pontes, precisam passar por exames de rotina e intervenções técnicas de manutenção após uma certa idade.

O Brasil é um país que não tem cultura de investir na inspeção e manutenção periódica das estruturas de pontes e prédios. Os prejuízos acabam sendo evidentes, se não há preservação do capital investido, os custos vão muito além da reconstrução de obras degradadas e a sociedade contabiliza prejuízos de tragédias como quedas de prédios e pontes deteriorados pela corrosão das estruturas.

De acordo com o engenheiro Jarbas Milititsky, presidente do comitê técnico do SEFE 8 – 8º Seminário de Engenharia de Fundações Especiais e Geotecnia e 2ª Feira da Indústria de Fundações e Geotecnia, tudo o que é construído pelo homem tem vida útil, que pode ser aumentada de acordo com inspeções e manutenções específicas.
Jarbas Milititsky, especialista em estruturas construtivas

Embora esses acidentes não estejam diretamente relacionados à fundação, sabe-se que esta é a parte vital de uma edificação e também pode sofrer os efeitos do meio natural. “A prevenção é o melhor caminho para o país não perder dinheiro nem vidas humanas”, defende ele, que também é autor do livro “Patologia das Fundações” (Oficina dos Textos).

“Os elementos utilizados nas fundações de obras de engenharia sofrem agressões do meio físico e devem passar por manutenções em prazos estabelecidos, mas ainda não são priorizadas por instituições governamentais e grandes proprietários”, explica Jarbas.

O livro “Patologia das Fundações” apresenta
cases com imagens de estruturas deterioradas
Para ele, não adianta apenas investir na construção de prédios residenciais, industriais, comerciais e pontes, ou seja, prover o país de infraestrutura, mas principalmente melhorar a qualidade das estruturas, obras de arte e edificações antigas, fazer inspeções técnicas periódicas nas fundações e em toda a estrutura, primando pela conservação.

De acordo com Milititsky, existe uma evolução de sintomas na degradação das construções. Aparecem deformações e trincas (que podem ou não estarem diretamente relacionadas à fundação). Mas numa ponte, por exemplo, os sintomas não são perceptíveis inicialmente, não há como saber se um dos apoios afundou 5cm. Nesses casos, como a parte de fundação está o tempo todo exposta à degradação e ação corrosiva da água ou do solo, essas edificações devem passar por inspeções técnicas em prazos estabelecidos, e intervenções quando necessárias.


QUEM É O TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES?


O Técnico em Edificações, sob supervisão de engenheiros ou arquitetos é o profissional responsável pela condução da execução técnica de trabalhos de edificação, prestando assistência no estudo e desenvolvimento de projetos, pesquisas e instalações, orientando e coordenando serviços de instalação, manutenção e restauração, fornecendo assistência técnica na compra, venda e utilização de produtos especializados. É capaz de desenvolver estudos preliminares de projetos de edificações, desenhar e interpretar projetos civis, aplicando as normas técnicas e regulamentos de construção e de instalações vigentes, instalar e gerenciar canteiros de obras, elaborar e desenvolver projetos dentro dos limites estabelecidos pelos conselhos regionais e organizar o processo de licenciamento de obras.  
A UNIPACS é parceira do PRONATEC e oferece Bolsas nos Cursos Técnicos nas unidades de Esteio e Taquara.
 
Peça mais informações pelos fones (51) 3473-0178 para ESTEIO e (51) 3541-2441 para TAQUARA.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *