SILICONE: BENEFÍCIOS E RISCOS

A Mamoplastia é uma cirurgia para correção da mama. Pode ser utilizada com finalidades estéticas, ou para tratamento de doenças graves.
A busca por seios com mais volume é recente no Brasil
A Mamoplastia de Aumento é utilizada para mulheres que sentem que seus seios são pequenos e desejam que sejam aumentados.
A estética da mama responde a costumes étnicos, sociais e culturais. Há não muitos anos, no Brasil as mulheres solicitavam a diminuição do volume do seio, quando a aspiração do inconsciente coletivo estético era o de mamas com pequenas proporções, seguindo a cultura francesa. Já nesta mesma época nos EUA, a aspiração era por mamas de grande volume, algumas de sensualidade até duvidosa, que pareciam mesmo anormalidades, dado seu gigantismo. Nos anos recentes, se observou uma rápida e marcante diferença no Brasil, quando as mulheres começaram a solicitar aumento da mamas, não nas proporções americanas, mas em volumes inimagináveis na década anterior. O que era defeito passou a ser aspiração.
É preciso ter muito cuidados, e não propor ao cirurgião exageros nestas técnicas de correção, prevendo a sazonalidade da moda, que muda rapidamente seguindo a velocidade do processo de comunicação da aldeia global.
Ao longo dos anos os seios perdem a forma e a firmeza
Com o passar dos anos, fatores tais como gravidez, amamentação, e a força de gravidade criam um custo para a forma dos seios da mulher. Enquanto a pele perde sua elasticidade, os seios freqüentemente perdem sua forma e firmeza e começam a cair. O lifting do seio ou mastopexia é um procedimento cirúrgico para elevar os seios e recuperar sua forma. Nenhuma cirurgia pode permanentemente controlar os efeitos da gravidade, mas por muito tempo se pode manter os resultados. Associando o procedimento ao uso de próteses, os resultados podem ser mantidos ainda por mais tempo.
A Mastopexia pode também reduzir o tamanho da aréola, a pele mais escura que cerca o mamilo. Se os seios são pequenos ou se perdeu volume, por exemplo, depois da gravidez, o implante de silicone inserido em conjunção com o lifting / mastopexia pode aumentar ambos, tanto a firmeza como o tamanho . Os resultados melhores normalmente são alcançados em mulheres com seios pequenos com pouca queda. Os seios de qualquer tamanho podem ser levantados, mas os resultados duram mais nos menores, porque pesam menos e sofrem menos os efeitos da gravidade. Para esta situação, quando se deseja apenas diminuir o tamanho dos seios ou corrigir a ptose (queda) a técnica utilizada é a Mamoplastia Redutora e a Mastopexia. 
AS MELHORES INDICAÇÕES
As informações aqui contidas não substituem a consulta médica clássica que deve ser o início de qualquer tratamento médico, por doença ou por estética. Por outro lado, se pode observar todas as vantagens e riscos envolvidos com o procedimento.

A noção do que seja risco é importante. Ter risco, não significa que um problema vai ocorrer com certeza, e sim que pode ocorrer em um pequeno número de situações, que com cuidado e atenção do médico e do paciente pode ser diminuído a números muito baixos. Ter esta noção exata controla emoções e mitos dando segurança no ato médico, para o paciente e para o cirurgião.
Entretanto o conhecimento de todos os envolvimentos de cada ato cirúrgico, deve não trazer medo e sim segurança no que vai ser feito.
As melhores candidatas para uma cirurgia plástica de mama são pacientes fisicamente saudáveis, psicologicamente estáveis, e realistas em suas expectativas, que pretendem uma melhora de sua aparência com a Mamoplastia, e não consideram que uma cirurgia vá mudar toda a sua vida.
A Mamoplastia pode melhorar a aparência e a sua autoconfiança, mas não mudará a sua posição no mundo e nem as coisas serão diferentes por causa de uma cirurgia. O mundo pode ser mudado para você por você, e a cirurgia plástica pode lhe ajudar a se sentir bem melhor, e você estará bem melhor, mas felizmente continuará sendo você, mas você melhor. Antes que você decida pela cirurgia, pense cuidadosamente sobre suas expectativas e as discuta com o cirurgião.
MAMOPLASTIA DE AUMENTO – PRÓTESE DE SILICONE
O Antes e o Depois


O aumento do seio pode ser obtido com o implante de uma prótese, de silicone mais amplamente utilizado ou de sal. Houve durante um período suspeitas sobre os riscos associados ao uso da prótese de silicone, e associações com doenças crônicas. Isto incorreu numa diminuição no entusiasmos de pacientes e cirurgiões por este tipo de prótese. Entretanto, felizmente estas suspeitas não foram confirmadas, e as próteses de silicone passaram a ser utilizadas amplamente, novamente, por serem as melhores. Novos estudos são realizados procurando estabelecer possíveis riscos, mas até o momento nada há que contra-indique seu uso, que está liberado em amplas partes do mundo, incluindo o Brasil.

O Implante pode ser colocado sob o tecido mamário, ou sob o músculo peitoral, várias vias de acesso são utilizadas para colocar o implante, através das aréolas, através da base da mama, ou transaxilar. Cada técnica pode ser utilizada em casos específicos e tem vantagens e desvantagens que deverão ser analisadas com o cirurgião.
RISCO
O aumento do volume dos seios é um procedimento relativamente seguro. Mas como com qualquer operação, há riscos associados com a cirurgia e complicações específicas associadas com este procedimento.
Um problema é a retração capsular, uma reação do tecido na cicatriz ou ao redor do implante. Pode ser um incômodo que requer correção cirúrgica e em situações mais extremas a remoção do implante. É uma retração exagerada da cápsula fibrosa normal (que se forma em torno da prótese), que determina certo grau de endurecimento à região, quando palpada. Alguns casos estão sujeitos a tal retração; entretanto, se isto ocorrer, as próteses poderão e deverão ser retiradas, através das mesmas cicatrizes. Em caso de utilização de próteses infláveis, poderá ocorrer, em poucos casos, certo esvaziamento, o que determinará na reavaliação do caso. Pelo fato das próteses infláveis desenvolverem apenas uma tênue cápsula fibrosa que raramente levam ao endurecimento da mama, em alguns casos pode-se sentir a presença da prótese, palpando-se levemente as mamas. Em caso de esvaziamento, esta palpação poderá ser mais acentuada. Posteriormente, ambos, cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outras próteses, um diferente plano de introdução ou outra conduta que melhor se adapte ao caso. A retração da cápsula ou o esvaziamento da prótese, nunca refletem imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento reacional atípico do organismo das pacientes, devido à presença das próteses de silicone.
Embora o sucesso da maioria das cirurgias, ainda há riscos
Não cabe ao cirurgião qualquer responsabilidade em gastos futuros com reintervenções que porventura sejam necessárias, decorrentes de retrações capsulares, endurecimento das mamas, rupturas tardias das próteses ou seu eventual esvaziamento. Presentemente o número de retrações de cápsula diminuiu bastante, devido ao advento de inovações técnicas introduzidas na cirurgia plástica.
Como com qualquer procedimento cirúrgico, sangramento excessivo seguindo a operação pode causar algum inchaço e dor. Se o sangramento excessivo continua, pode ser necessário controlar o sangramento por uma nova cirurgia e remover o sangue acumulado.
Uma porcentagem pequena de mulheres pode desenvolver uma infecção ao redor de um implante. Isto pode ocorrer em qualquer tempo, mas é mais freqüentemente visto dentro de uma semana depois da cirurgia. Em alguns casos, o implante pode necessitar ser removido durante meses até que a infecção ceda. Um novo implante pode ser então inserido.
Algumas mulheres relatam que os seus mamilos tornam-se supersensíveis. Em outros casos podem se tornam um pouco entorpecido, como se estivesse um pouco anestesiado. Estas alterações normalmente desaparecem dentro de pouco tempo, mas pode ser permanente em alguns pacientes.
A maioria das mulheres que se submetem ao implante de silicone nos seios ou cirurgias redutoras e lifting não apresenta estas complicações, entretanto estas possibilidades devem ser discutidas com o cirurgião antes do procedimento, para que seu conhecimento traga a necessária tranqüilidade para o paciente. O Cirurgião conhece estas possibilidades e tudo faz para prevenir. A ocorrência de uma complicação fica no imponderável que acompanha não só os atos cirúrgicos, mas tudo que se diz respeito a nossas vidas.
Fonte: www.naturale.med.br – acesso em 29.05.2012
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *