ÁGUA MAIS IMPORTANTE QUE PETRÓLEO

O executivo da área ambiental da maior empresa de bebidas do mundo, Jeff Seabright, enfatizou que a água está no cerne do desenvolvimento sustentável, e hoje é mais importante do que o petróleo. Defendeu com veemência a economia verde, a energia renovável e o reuso da água, além de condenar a má governança dos recursos hídricos, Jeff Seabright não surpreendeu o plenário apenas por suas declarações, mas sobretudo pela paciência de acompanhar todos os outros debatedores, defendendo, também, a água como direito humano. Para Seabright, a sustentabilidade começa com o simples ato de prestar atenção. Prestar atenção e medir. “Você não pode gerenciar com eficiência e proveito aquilo que não pode medir com eficiência e proveito”, diz ele.
A Coca-Cola tem a água como principal insumo 

A Coca-Cola é uma empresa global que tem a água no seu negócio. Com mais de 90.000 funcionários e presença em mais de 200 países, Jeff Seabright explica que a companhia está medindo tudo o que pode, desde as taxas de eficiência de água para uso do produto e de material de embalagem até a sua pegada de carbono. “Sem conhecer e sem medir não há como manter uma governança moderna, apropriada e justa com seus empregados, com seus clientes, com a sociedade e com o meio ambiente. É a única fórmula para buscar a sustentabilidade”, garante o executivo ambiental da Coca-Cola, com a experiência de quem já dirigiu um escritório de Energia, Ambiente e Tecnologia e, em 1999, e se mudou para a Casa Branca, em Washington, para ser Diretor Executivo da Força-Tarefa para as Alterações Climáticas.

Evolução da sustentabilidade

A busca da sustentabilidade veio ao longo de décadas, mas o foco inicial era sobre a governança corporativa em todo o ambiente. Medir e focar na questão da sustentabilidade trouxe resultados concretos.

Na década de 70, com o advento do Ar Limpo e Lei da Água Limpa, as empresas realmente começaram a prestar atenção ao surgimento de novas exigências regulamentares. O objetivo principal é cumprir a missão da “ecoeficiência”: fazer mais com muito menos. Buscar eficiência no descarte de resíduos, na produção, na comercialização. Há um terceiro nível dessa evolução que é montar programas que agregam valor real ao negócio, através de vários canais diferentes.



A água é um recurso finito e muitos não sabem disso

A água como um recurso finito está passando por estresse em todo o mundo. E isso é um desafio para um negócio que se baseia fundamentalmente no acesso à água. A questão não é apenas a disponibilidade de água, mas está embutido aí a questão da qualidade, do descarte, da poluição das águas subterrâneas etc. Não é um risco insuperável, mas é algo que a empresa sentiu necessidade de reconhecer. Hoje a sustentabilidade está dentro do nosso negócio. Faz parte do negócio, salienta Jeff Seabright.

Forum Humanidade 2012
O projeto Humanidade 2012 aconteceu no Forte de Copacabana e foi reconhecido pelo público como um dos mais importantes e relevantes durante o período da RIO+20. O evento recebeu mais de 210 mil pessoas entre os dias 11 e 22 de junho. O evento, que aconteceu no Forte de Copacabana, possibilitou a forte participação da sociedade civil que teve acesso a informações e debates sobre crescimento econômico, desenvolvimento tecnológico, infraestrutura e conservação ambiental.

O Forum Humanidade 2012 misturou educação, tecnologia e cultura. A exposição mostrou o poder de transformação do homem através dos tempos, como sua intervenção alterou a ordem natural da Terra, e indicou caminhos para uma reflexão: como podemos hoje contribuir para um mundo melhor. 



O Fórum Humanidade 2012 ocorreu
no Forte de Copacabana – RJ
ÁGUA EM DESTAQUE

A água também foi destaque no Fórum “Humanidade 2012”, um dos eventos paralelos da RIO+20, iniciativa da TV Globo com a participação de várias empresas, no Forte de Copacabana.

A água marcou o início dos debates com a presença de todos os ex-presidente da ANA- Agência Nacional de Águas, e do atual dirigente do órgão Vicente Andreu Guillo, que foi muito assediado pela imprensa, com perguntas duras e denúncias sobre as concessionárias privadas de serviços de água e saneamento.

Uma verdade muito comentada: os empresários brasileiros não demonstraram valorizar tanto a água como os estrangeiros. Willem Buiter, por exemplo, que nasceu na Holanda e possui cidadania britânica e norte-americana, diretor do Citigroup, assegurou com veemência que a água será o ativo financeiro mais importante, superando o petróleo, o cobre, as commodities agrícolas e os metais preciosos.

 Jeff Seabright é Vice-Presidente de Ambiente e Recursos Hídricos da Coca-Cola Company. Em 1993, ingressou na Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional, depois de servir como diretor do Escritório de Energia, Ambiente e Tecnologia. Em 1999, e se mudou para a Casa Branca para ser Diretor Executivo da Força-Tarefa para as Alterações Climáticas, onde ajudou a negociar o Protocolo de Kioto. Além de fazer parte do Comitê Consultivo Ambiental Comércio e Tecnologia para o Secretário de Comércio dos EUA, Jeff Seabright é membro da Conservação Internacional, da World Environment Center e da The Nature Conservancy.

Fonte: Folha do Meio Ambiente (edição julho/2012) – www.folhadomeio.com.br 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *