DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Nesta próxima quinta-feira, dia 08 de março, se comemora o Dia Internacional da Mulher. Mas de onde vem esta data?

No dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Pesquisas recentes comprovam um fenômeno que não obedece fronteiras. Cresce exponencialmente o número de mulheres em postos diretivos nas empresas. Curiosamente, essa ascensão se dá em vários países, de maneira semelhante, como se houvesse um silencioso e pacífico levante de senhoras e senhoritas no sentido da inclusão qualificada no mundo do trabalho. Segundo alguns analistas, esse processo tem origem na falência dos modelos masculinos de processo civilizatório. Enfim, caso Tarzan não se recicle, os filmes do futuro serão estrelados somente por Jane.


No Brasil, as mulheres são 41% da força de trabalho, mas ocupam somente 24% dos cargos de gerência. O balanço anual da Gazeta Mercantil revela que a parcela de mulheres nos cargos executivos das 300 maiores empresas brasileiras subiu de 8%, em 1990, para 13%, em 2000. No geral, entretanto, as mulheres brasileiras recebem, em média, o correspondente a 71% do salário dos homens. Essa diferença é mais patente nas funções menos qualificadas. No topo, elas quase alcançam os homens. Os estudos mostram que no universo do trabalho as mulheres são ainda preferidas para as funções de rotina.

Segundo uma pesquisa recente feita pelo Grupo Catho, empresa de recrutamento e seleção de executivos, as mulheres conquistam cargos de direção mais cedo. Tornam-se diretoras, em média, aos 36 anos de idade. Os homens chegam lá depois dos 40. No entanto, essas executivas ganham, em média, 22,8% menos que seus competidores de colarinho e gravata. A boa notícia é que essa diferença nos rendimentos vem caindo rapidamente. Por estar a menos tempo no mercado, é natural que elas tenham currículos menos robustos que os dos homens. A diferença nos ganhos tende a inexistir em futuro próximo.

Nas escolas de Ensino Técnico essa realidade também se modificou sobremaneira nos últimos anos. E um exemplo disso é o curso Técnico de Segurança do Trabalho. Há cerca de 10 anos atrás, nas salas de aula preponderava a presença masculina, com uma participação de cerca de 8 homens em cada grupo de 10 alunos. Atualmente, a realidade é outra, numa relação praticamente igual de participação. A cada grupo de 10 pessoas matriculadas, a metade é de alunas.


Também as empresas modificaram o perfil do profissional que buscam no mercado. Algumas delas dão preferência a Técnicas de Segurança do Trabalho, com justificativas de predicados que vão desde a atenção redobrada aos aspectos de segurança, bem como, o espírito aguçado de organização e ordem.

Desta forma, vê-se que não faltam motivos para que as mulheres comemorem cada vez mais sua independência e o Dia Internacional da Mulher nesta próxima quinta-feira.   


No quadro acima estão 13 mulheres de destaque no cenário nacional e internacional. E os nomes corretos estão no final da edição. Vamos ver se você reconhece cada uma delas? O resultado pode ser avaliado desta forma:

Entre 3 e 5 acertos: Nível Regular – Você precisa estar mais antenado com a realidade atual.
Entre 6 e 9 acertos: Nível Bom – Você é uma pessoa que presta atenção nas coisas que acontecem ao seu redor.
Entre 10 e 13 acertos: Nível Ótimo – Você costuma se informar permanentemente, e está sempre atualizado. Parabéns.

Fonte: PROBST, Elisiana Renata. A evolução da mulher no mercado de trabalho. Instituto Catarinense de Pós-Graduação.Fev de 2005. 


1.Lady Diana  2.Madre Tereza de Calcutá   3.Zilda Arns   4.Marina Silva   5.Dilma Rousseff   6.Cora Coralina   7.Raquel de Queiróz   8.Elis Regina   9.Irmã Dulce   10.Irmã Dorothy Stang   11.Carmem Miranda   12.Maria da Penha   13.Diza Gonzaga.  
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *