ENTRE OS MAIS POLUÍDOS DO PAÍS

As precárias condições do rio Gravataí próximo a Cachoeirinha
Os três rios da Região Metropolitana de Porto Alegre estão na quarta, quinta e oitava posições na lista dos mais poluídos do Brasil, segundo dados do Índice de Desenvolvimento Sustentável do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os rios dos Sinos, Gravataí e Caí, respectivamente, têm em comum a água escura e muita sujeira. Rios que nascem com água pura e cristalina, mas com o passar do tempo se transformam em lixões a céu aberto.

Por três meses, a reportagem da RBS TV esteve nos três rios para tentar descobrir por que eles estão tão poluídos. Mais de 2,8 mil quilômetros foram percorridos pelos municípios que fazem parte das três bacias. A equipe voou mais de 50 milhas para mostrar do alto os impactos do que acontece todos os dias.

A nascente do Rio do Sinos, localizada no pequeno município
de Caraá – RS, um manancial de água pura
Os rios abastecem cerca de 2,8 milhões de pessoas em 82 municípios. Ao longo do caminho, são vistas imagens incríveis e flagrantes claros de desrespeito às leis. Enquanto isso, especialistas dizem que a burocracia não apenas atrasa as soluções, mas também desperdiça dinheiro público.

“O que nós estamos percebendo é que, a cada dia que passa, o processo de desenvolvimento urbano se aproxima mais das nascentes. Aqui deveria ser um local protegido, conservado, usado de forma sustentável para garantir que o rio cumpra essa função ambiental tão importante que ele possui”, diz o biólogo Jackson Muller, ex-diretor técnico da Fepam.

Os especialistas analisaram a água desses rios e comprovaram o estado preocupante em que cada um deles se encontra.

Renato Zucchetti, Chefe da  Divisão de Fiscalização da FEPAM
“O Rio Grande do Sul e o próprio Brasil são áreas abençoadas pela enorme quantidade de recursos hídricos que temos disponíveis. O que está acontecendo neste momento é única e exclusivamente uma omissão, uma imperícia, uma negligência dos que estão à frente de tomar decisão com relação aos recursos hídricos”, diz o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e vice-presidente do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da universidade, Carlos André Bulhões Mendes.

As autoridades responsáveis por cuidar do meio-ambiente no estado admitem que a situação saiu do controle. “Este produto que mostraste aqui pra gente é a falência da gestão ambiental”, diz o chefe da Divisão de Fiscalização, Renato Zucchetti. “As atividades se multiplicaram, os empreendimentos se multiplicaram, as condicionantes das licenças se multiplicaram. Os licenciamentos cresceram de forma geométrica e o nosso atendimento de forma aritmética”, completa.

Fonte: g1.globo.com/rs – 24.04.15

QUEM É O TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE?

Os profissionais com este perfil atuam no atendimento dos problemas ambientais e na promoção do desenvolvimento sustentável. Participam da elaboração e implementação da política do meio ambiente e segurança no trabalho, realizam coletas, armazenam e interpretam informações, dados e documentações ambientais, colaboram na elaboração de laudos, relatórios e estudos ambientais, auxiliam na elaboração, acompanhamento e execução de sistemas de gestão. Atuam ainda na educação ambiental, identificam as intervenções ambientais, analisam suas consequências e operacionalizam a execução de ações para preservação, conservação, otimização e minimização dos seus efeitos.
A UNIPACS é parceira do PRONATEC e oferece Bolsas nos Cursos Técnicos nas unidades de Esteio e Taquara.

Peça mais informações pelos fones (51) 3473-0178 para ESTEIO e (51) 3541-2441 para TAQUARA.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *