MAIS DA METADE DOS BRASILEIROS TEM NÓDULO NA TIREOIDE


O Exame da tireoide é um processo simples

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia estima que 60% da população brasileira terá nódulos na tireoide em algum momento da vida. A boa notícia é que a maioria é benigno, já que os dados indicam que apenas 5% são cancerosos. Porém qualquer alteração na glândula pode afetar diretamente diversas funções essenciais do organismo tais como crescimento e desenvolvimento, fertilidade, sono, raciocínio, controle emocional, temperatura do corpo, batimentos cardíacos, funcionamento intestinal, e controle do peso corporal. 
De acordo com a Dra. Jailma Vieira, médica radiologista do laboratório Exame, o diagnóstico dos nódulos tireoidianos é feito pela história clínica (anamnese), exame físico realizado pelo médico especialista, geralmente em endocrinologia, e exames complementares específicos. “A ultrassonografia é um instrumento que tem auxiliado bastante aos médicos na avaliação complementar, e é útil para guiar as biópsias dos nódulos, quando necessário”, explica. O diagnóstico por imagem auxilia na identificação de nódulos que não são palpáveis no exame físico e ainda ajuda na classificação deles.
 
O equipamento mostra bem o tamanho e as especificações dos nódulos, identificando muitos que não são palpados no exame físico. “O ultrassom nos ajuda a caracterizar se o nódulo é sólido, misto, cístico, se tem um contorno bem definido ou se é um nódulo irregular, por exemplo. Essas características anatômicas sugerem se o nódulo é benigno ou maligno e por meio desta abordagem inicial, o médico decide se precisará de uma investigação mais especifica”, exemplifica a médica.
O exame de ultrassom detecta os nódulos
A especialista informa que o equipamento de ultrassonografia também conta com um recurso que auxilia ainda mais na classificação dos nódulos: o Doppler. “É um método comum, não invasivo e rápido que nos permite a detecção e avaliação de estruturas em movimento. Neste caso buscamos o fluxo sanguíneo dos nódulos. Geralmente nos nódulos benignos predomina a vascularização periférica, ou seja, há poucos vasos no centro. Já os malignos têm mais vasos centrais. Com estas informações conseguimos incluir mais dados na classificação inicial”, reforça a médica.
Fique atento
A médica alerta que portadores de nódulos devem ser acompanhados periodicamente por meio destes exames complementares. “A melhor conduta será orientada pelo médico após avaliação personalizada. Porém hoje em dia a maioria dos clínicos gerais e ginecologistas já incluem estes testes na bateria de exames de check-up básico já que estudos mostram que os nódulos tireoidianos acometem preferencialmente mulheres e idosos”, conclui.
O período pós-parto pode alterar a tireoide
Se alguma das situações a baixo se encaixa com você, pense em ter uma conversa com o seu médico a respeito de alterações na tireoide:
– Mulheres em período pós-parto (6 meses após o parto); 
– Pessoas com colesterol alto; 
– Pessoas que já tiveram doenças de tireoide anteriormente; 
– Pessoas com história familiar de doenças de tireoide; 
– Pessoas que apresentem outras doenças autoimunes como diabetes mellitus  tipo I, lúpus e artrite reumatoide; 
– Pessoas que estiveram em tratamento de radioterapia de cabeça e pescoço; 
– Pessoas em uso de drogas que acometem a função da tireoide como lítio e amiodarona; 
– Pessoas com depressão e/ou doença do pânico.
Fonte: Jornal de Brasília – Edição 20/08/15  

QUEM É O TÉCNICO EM RADIOLOGIA?

O Técnico em radiologia é o profissional da área da saúde que realiza exames na área de radiologia, sob a forma de imagens internas do corpo humano, com o objetivo de diagnosticar problemas ou avaliar as condições do paciente. Suas funções compreendem na preparação, programação, operação do sistema de imagens, preparação do paciente e, muitas vezes, a produção de um relatório descritivo preliminar. Cabe também a esse profissional garantir a segurança do paciente e da equipe de exames. 
A UNIPACS possui o Curso Técnico em Radiologia nas unidades de Esteio e Taquara. Peça mais informações pelos fones (51) 3473-0178 para ESTEIO e (51) 3541-2441 para TAQUARA. 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *