O SAL: HERÓI E VILÃO

O sal é importante no metabolismo celular

O sódio é essencial para a vida. Ele desempenha um papel fundamental no metabolismo celular, permitindo a absorção de nutrientes e a transmissão dos impulsos nervosos.
Como é um mineral que o organismo não consegue produzir em si, é essencial obtê-lo através da dieta. Além disso, comparado com outros minerais, o organismo necessita de quantidades relativamente grandes de sódio. O sódio, além de oferecer sabor aos alimentos, favorece em muitos outros aspectos, como a textura e cor.
Saber a importância do sódio em nosso corpo e como comê-lo é a chave para uma vida saudável. Então, se você não pode controlar cada grama de sal que come, lembre-se que o mais conveniente é não consumir mais sódio do que o necessário. Se você for uma pessoa sedentária, então reduza a quantidade e frequência.
O excesso de sal pode provocar doenças cardíacas
Pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard, em Boston, estimam que cerca de 2,3 milhões de pessoas morreram em 2010, em todo o mundo, por doenças relacionadas à ingestão exagerada de sal. O número corresponde a 15% do total de óbitos por enfarte, acidente vascular cerebral (AVC) e outras doenças cardíacas registrados naquele ano no globo. Os números assustadores são consequência da altíssima ingestão do ingrediente. Em uma segunda análise, o grupo concluiu que 75% da população mundial consome quase o dobro da recomendação diária de sódio. Os dados foram apresentados ontem nas Sessões Científicas de 2013 em Epidemiologia, Prevenção, Nutrição, Atividade Física e Metabolismo, da Associação Americana do Coração, nos Estados Unidos. A equipe responsável pelo levantamento é a mesma que, na terça-feira passada, associou o consumo de bebidas açucaradas a 183 mil mortes em 2010.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cada pessoa deve ingerir no máximo 2g de sódio por dia, quantidade encontrada em 5g de sal. A Associação Americana do Coração (AHA, em inglês) é ainda mais restritiva e recomenda que essa taxa de consumo atinja, no máximo, 1,5g. O autor sênior da pesquisa, Darius Mozaffarian, codiretor do Programa em Epidemiologia Cardiovascular e professor de medicina e epidemiologia na Universidade de Harvard, afirma que a média de consumo mundial é de 4g diárias. A variação entre os países é muito grande. As menores taxas de ingestão estão em países africanos, como Quênia (1,5g por dia), Malauí (1,5g) e Ruanda (1,6g), enquanto o Cazaquistão superou os outros 186 países estudados, com uma ingestão per capita de 6g por dia.
PALAVRA DO ESPECIALISTA

Os alimentos industrializados possuem alta
concentração de sódio 

“Cada dia mais se come uma maior quantidade de sal e isso começa ainda quando criança. Crianças são loucas por produtos industrializados, como biscoitos amanteigados e recheados. Nisso, elas consomem uma grande quantidade de sal por dia. Os produtos industrializados têm uma tendência a usar um mais sal como um conservante. O sal é o conservante mais barato que a indústria tem e ela abusa disso em grandes quantidades. Apesar do consumo exagerado ser uma realidade hoje, no nosso país existe uma nova legislação tentando diminuir a quantidade de sal nos produtos industrializados. Um programa da Anvisa exige a diminuição da incidência de sódio nos produtos industrializados. Mas não é só a indústria que precisa diminuir, precisamos também de uma adequação da população. Com a vida atribulada que as pessoas têm atualmente, costumam achar mais fácil usar os produtos industrializados, como sopinha pronta, lanches e temperos prontos.”


Marcelo Barros, nutricionista do Instituto Nacional de Cardiologia

Fontes:
 http://www.tudogeral.com(acesso em 25.03.13)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *