A EROSÃO DO SOLO


Erosão em solos de agricultura inadequada
Erosão é o desgaste do solo e das rochas, em geral por causa do intemperismo. A erosão destrói as estruturas (areias, argilas, óxidos e húmus) que compõem o solo, levando seus nutrientes e sais minerais existentes para as partes baixas do relevo.
Em solos cobertos pela vegetação a erosão é muito pequena e quase inexistente, mas é um processo natural sempre presente e importante para a formação dos relevos. O problema ocorre com a retirada das vegetações para uso agrícola, deixando o solo exposto e tornando a erosão, o que pode levar à desertificação.
Agentes Erosivos
Água, gelo, chuva ou vento. A superfície da Terra como a conhecemos é formada tanto por processos geológicos que formam as rochas, como por processos naturais da degradação e também de erosão. Uma vez que a rocha é quebrada por causa da degradação, os pequenos pedaços podem ser movidos pela água, gelo, vento, ou gravidade. Tudo o que acontece para fazer com que as rochas sejam transportadas chama-se erosão.
A superfície do solo, não castigado, é naturalmente coberta por uma camada de terra rica em nutrientes inorgânicos e materiais orgânicos que permitem o crescimento da vegetação; se essa camada é retirada, esses materiais desaparecem e o solo perde a propriedade de fazer crescer vegetação e pode-se dizer que, no caso, o terreno ficou árido ou que houve uma desertificação.
Os prejuízos da erosão em estradas vicinais
As águas da chuva quando arrastam o solo, quer ele seja rico em nutrientes e materiais orgânicos, quer ele seja árido, provocam o enchimento dos leitos dos rios e lagos com esses materiais e esse fenômeno de enchimento chama-se assoreamento. O arrastamento do solo causa no terreno a erosão. Na superfície do terreno e no subsolo, as águas correntes são as principais causas da erosão.
 
Análise do efeito das águas que fazem a erosão superficial de terrenos: A erosão depende fundamentalmente da chuva, da infiltração da água, da topografia (declive mais acentuado ou não), do tipo de solo e da quantidade de vegetação existente. A chuva é, sem dúvida, a principal causa para que ocorra a erosão e é evidente que quanto maior a sua quantidade e frequência, mais irá influenciar o fenômeno. Se o terreno tem pouco declive, a água da chuva irá “correr” menos e erodir menos.
Se o terreno tem muita vegetação, o impacto da chuva será atenuado porque a velocidade da água escorrendo no solo será diminuída devido aos obstáculos (a própria vegetação “em pé e caída”) que agirão como pequenos degraus que evitam a erosão.
A erosão será diminuída também com as raízes darão sustentação mecânica ao solo; além disso, as raízes mortas propiciarão existirem canais para dentro do solo onde a água pode penetrar e com isso, sobrará menos água para correr na superfície.
 

As matas ciliares preservam e sustentam o solo

Outro fator importante é que, se as chuvas são frequentes e o terreno já está saturado de água, a tendência é que o solo nada mais absorva e com isso, toda a água da chuva que cair, correrá pela superfície. Se o solo é arenoso o arrastamento será maior do que se ele fosse argiloso.
Fatores que contribuem
Muitas ações devidas ao homem apressam o processo de erosão, como por exemplo:
  • Os desmatamentos (desflorestamentos) desprotegem os solos das chuvas.
  • O avanço imobiliário em encostas que, além de desflorestar, provocam a erosão acelerada devido ao declive do terreno.
  • As técnicas agrícolas inadequadas, quando se promovem desflorestações extensivas para dar lugar a áreas plantadas.
  • A ocupação do solo, impedindo grandes áreas de terrenos de cumprirem o seu papel de absorvedor de águas e aumentando, com isso, a potencialidade do transporte de materiais, devido ao escoamento superficial.

Fonte: wikipédia

Quem é o Técnico em Meio Ambiente?

 

O Técnico em Meio Ambiente tem destaque na atual situação brasileira, principalmente por ser um curso da áreada saúde, meio ambiente e segurança do trabalho. Os profissionais com o perfil requerido atuam no atendimento dos problemas ambientais e na promoção do desenvolvimento sustentável. Participar da elaboração e implementação da política do meio ambiente e segurança no trabalho, realizar coleta, armazena e interpreta informações, dados e documentações ambientais, colabora na elaboração de laudos, relatórios e estudos ambientais, auxiliam na elaboração, acompanhamento e execução de sistemas de gestão. Atua ainda na educação ambiental, identifica as intervenções ambientais, analisa suas conseqüências e operacionaliza a execução de ações para preservação, conservação, otimização e minimização dos seus efeitos.
A UNIPACS é parceira do PRONATEC e oferece Bolsas no Curso Técnico em Meio Ambiente nas unidades de Esteio e Taquara. 

Mais informações pelos telefones: (51) 3473-0178 – Esteio e (51) 3541-2441 – Taquara

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *