LESÕES POR EXCESSO DE ATIVIDADES PODEM CAUSAR DORES NOS JOELHOS

Por tratar-se de uma das articulações mais requeridas do nosso corpo, o joelho pode sofrer lesões com o uso excessivo 

A dor ou desconforto no joelho frequentemente leva o paciente a procurar o consultório do ortopedista. Várias causas podem estar implicadas na sua origem; no entanto, as lesões musculoesqueléticas por excesso de atividades são as mais frequentes.
Dor no joelho pode estar associada a excesso de atividades

O joelho é formado por dois importantes ossos dos membros inferiores que são o fêmur e a tíbia. Essa junção é composta por duas articulações distintas: uma entre o fêmur e a tíbia, chamada de fêmoro-tibial e outra entre o fêmur e a patela, denominada fêmoro-patelar. O joelho é a maior articulação do corpo humano.

Além disso, a articulação do joelho também é formada por várias estruturas complexas compostas por ossos, ligamentos, tendões, músculos, nervos e vasos sanguíneos.
Para o bom funcionamento dessa articulação, nas atividades diárias e esportivas é preciso que todas essas estruturas trabalhem em harmonia. Essas complexas e variadas estruturas são extremamente sensíveis a pequenos problemas de alinhamento, atividades excessivas e erros de treinamento. Desequilíbrios musculares nessa região também podem originar articulações dolorosas.
Observe o detalhe de localização da patela no desenho esquemático
A patela é um osso plano triangular, que está fixado por ligamentos e tendões à face anterior do joelho. Pessoas que apresentam desequilíbrios de força entre os músculos laterais e mediais da coxa e outras variações anatômicas favorecem a instabilidade e a lateralização da patela, tirando-a do “trilho”. O “joelho do corredor” ou síndrome patelo-femoral é uma perturbação em que a patela roça contra a extremidade inferior do fêmur quando o joelho se move. Essa síndrome é muito comum entre os corredores e causa muita dor.
Vários fatores podem estar associados à dor no joelho, como desequilíbrio dos músculos da coxa (quadríceps e isquiotibiais) que suportam a articulação do joelho, más formações congênitas e problemas relacionados a treinamentos inadequados.
O tratamento para esse tipo de dor pode ser simples, com repouso, bandagens, anti-inflamatórios, fisioterapia, aplicação de compressas de gelo com intervalos determinados e até técnicas intervencionistas como aplicações locais de medicamentos.
Dr. José Fabio Lana é ortopedista especialista
em lesões de joelho

No entanto, em casos mais graves, quando ocorre desgaste da cartilagem, por exemplo, uma intervenção cirúrgica pode ser necessária.

Um dos procedimentos indicados é o artroscópico minimamente invasivo, capaz de tratar os danos do interior de uma articulação com pouco dano muscular, menor dor na pele e menos cicatrizes.

— Com este tratamento, o paciente tem a parte posterior da patela nivelada, visando a diminuição da dor e aumento da qualidade de vida — explica o ortopedista José Fábio Santos Duarte Lana.
Para evitar a Síndrome Patelo Femoral e preservar as articulações do joelho sem dor, o médico recomenda manter o bom condicionamento físico, alongamento antes de qualquer atividade e uso de calçado apropriado para corridas ou caminhadas.
Fonte: Zero Hora – Caderno “Vida e Estilo” – 10.06.2013

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *