O CÁLCULO DA CAIXA D’ÁGUA

A quantidade de água é essencial para qualquer edificação
Ao construir uma casa, muitas pessoas se deparam com uma questão importante: como dimensionar a caixa d’água? Na dúvida, é comum fazer instalações exageradas, mais custosas e que sobrecarregam a estrutura da casa desnecessariamente, ou projetar uma caixa muito pequena, com capacidade insuficiente para os dias de falta d’água.

Para que serve a caixa d’água?

Por mais que pareça meio óbvia, essa questão é importante. Ela serve para abastecer a casa nos dias em que o serviço público apresenta algum problema e o fornecimento é interrompido.

Se não fosse por esses cortes, as caixas d’água não seriam necessárias e usaríamos a água que vem diretamente da rua, o que, além de baratear as construções, eliminaria a necessidade de lavar o reservatório periodicamente para evitar contaminação -e haveria menos caixas d’água destampadas ou abandonadas onde mosquitos como os da dengue podem se reproduzir. Contudo, o abastecimento é falho em todo o país e, por conta disso, fazemos uso das caixas d’água, reserva que garante o abastecimento das construções.

Sistema de instalação e funcionamento da caixa d’água

Quantos dias sem abastecimento a caixa deve suprir?

As normas brasileiras dizem que os reservatórios de água devem ser suficientes para suprir dois dias do consumo de uma casa. Entretanto, esse número pode variar em função da localização da casa e do tipo de utilização.

Num local em que a falta d’água é frequente e pode demorar vários dias para ser restabelecida, é possível dimensionar um reservatório para três ou quatro dias de consumo, por exemplo. Da mesma maneira, o reservatório de um estabelecimento comercial que depende fundamentalmente da água para o funcionamento (como um restaurante ou um salão de cabeleireiros) justifica construir um reservatório para mais dias a fim de não prejudicar o funcionamento pela eventual deficiência no abastecimento.

Como dimensionar o reservatório?

Há tabelas que mostram o consumo médio de água para cada tipo de construção. Para uma residência, o consumo médio por pessoa é de 150 litros por dia. No caso dos apartamentos esse consumo é maior, 200 litros por pessoa por dia em função da maior pressão da água, que acaba acarretando em maior consumo.

O peso do reservatório influi no aspecto construtivo e de segurança
Logo, sabendo-se para quantos dias a caixa d’água será projetada e quantas pessoas há na casa, é só fazer um cálculo simples. Como exemplo, para uma casa de seis pessoas, uma caixa d’água projetada para suprir o consumo de dois dias deverá ter:

6 (pessoas) x 150 (litros/pess.) x 2 (dias) = 1.800 litros

Considerando-se as dimensões-padrão das caixas d’água, podemos considerar uma caixa de 2.000 litros. Ou duas de 1.000 litros. Quando não se sabe ao certo quantas pessoas vão morar na casa, pode-se considerar no cálculo que em cada quarto dormirão duas pessoas, e em cada quarto de empregada dormirá uma pessoa. Exemplo: para uma casa com dois quartos mais um quarto de empregada temos:

[2 (quartos) x 2 (pessoas)] + [1 (quarto empreg.) x 1 (pessoa)] = 5 pessoas na casa

5 x 150 l x 2 = 1.500 litros

Nesse caso, podemos colocar uma caixa de 1.500 litros ou ainda uma de 1.000 litros e outra de 500 litros.

Quando se deseja uma caixa que suporte mais dias, basta multiplicar o número de pessoas pelo consumo médio pelo número de dias desejado, ou seja:

número de pessoas x consumo médio x número de dias

A limpeza também é parte fundamental para a saúde
Devemos lembrar ainda que no caso de falta d’água é comum as pessoas economizarem naturalmente, tomando banhos mais rápidos, evitando lavar roupas, quintais e calçadas. Ou seja, não é necessário exagerar na quantidade de dias que a caixa deverá suprir, visto que o consumo médio provavelmente cairá nesses dias em que o abastecimento estiver com problemas.

Quanto pesa uma caixa d’água?

Como as caixas ficam normalmente sobre as casas, seu peso influirá no cálculo da estrutura. Como 1.000 litros de água, um reservatório pesa 1.000 kg; e quanto maior a capacidade, mais resistente e cara tem de ser a estrutura que suporta o reservatório. Portanto não exagere no tamanho da caixa para que o custo da obra não fique proibitivo.

E o meio ambiente?

Por fim, é sempre bom lembrar que devemos economizar o máximo possível de água no dia-a-dia. Água com pressão exagerada, chuveiros com muita vazão ou hábitos condenáveis como lavar a calçada diariamente aumentam o consumo e exigem maiores investimentos na construção por conta de caixas maiores e mais caras. Logo, evite o consumo exagerado e tenha uma caixa adequada, de tamanho suficiente e com um custo que caiba no seu bolso.

Fonte:

Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz – arquitetos formados pela FAU-USP e sócios do escritório Forte Gimenes Marcondes Ferraz (www.fgmf.com.br)

QUEM É O TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES? 


O Técnico em Edificações, sob supervisão de engenheiros ou arquitetos é o profissional responsável pela condução da execução técnica de trabalhos de edificação, prestando assistência no estudo e desenvolvimento de projetos, pesquisas e instalações, orientando e coordenando serviços de instalação, manutenção e restauração, fornecendo assistência técnica na compra, venda e utilização de produtos especializados. É capaz de desenvolver estudos preliminares de projetos de edificações, desenhar e interpretar projetos civis, aplicando as normas técnicas e regulamentos de construção e de instalações vigentes, instalar e gerenciar canteiros de obras, elaborar e desenvolver projetos dentro dos limites estabelecidos pelos conselhos regionais e organizar o processo de licenciamento de obras.  

A UNIPACS é parceira do PRONATEC e oferece Bolsas nos Cursos Técnicos nas unidades de Esteio e Taquara.
 
Peça mais informações pelos fones (51) 3473-0178 para ESTEIO e (51) 3541-2441 para TAQUARA.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *