TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE DE TAQUARA: SAÍDA DE CAMPO

Paulo Freire: Sem a curiosidade não atingimos o conhecimento!
Paulo Freire, o mais influente educador brasileiro tinha por princípio buscar alternativas de educação que desafiassem as atividades costumeiras da sala de aula.   
Conhecido principalmente pelo método de alfabetização de adultos que leva seu nome, ele desenvolveu um pensamento pedagógico assumidamente político. Para Freire, o objetivo maior da educação é conscientizar o aluno. Isso significa, em relação às parcelas desfavorecidas da sociedade, levá-las a entender sua situação de oprimidas e agir em favor da própria libertação. O principal livro de Freire se intitula justamente Pedagogia do Oprimido e os conceitos nele contidos baseiam boa parte do conjunto de sua obra.
Alunos fazem a trilha da Floresta Nacional
Ao propor uma prática de sala de aula que pudesse desenvolver a criticidade dos alunos, Freire condenava o ensino oferecido pela ampla maioria das escolas (isto é, as “escolas burguesas”), que ele qualificou de educação bancária. Nela, segundo Freire, o professor age como quem deposita conhecimento num aluno apenas receptivo, dócil. Em outras palavras, o saber é visto como uma doação dos que se julgam seus detentores. Trata-se, para Freire, de uma escola alienante, mas não menos ideologizada do que a que ele propunha para despertar a consciência dos oprimidos. “Sua tônica fundamentalmente reside em matar nos educandos a curiosidade, o espírito investigador, a criatividade”, escreveu o educador. Ele dizia que, enquanto a escola conservadora procura acomodar os alunos ao mundo existente, a educação que defendia tinha a intenção de inquietá-los.
Paulo Freire afirmava ainda que “sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino”.
Foi com esse espírito que as turmas 704 e 705 do curso Técnico em Meio Ambiente da Unipacs de Taquara, realizaram saída de campo para a Floresta Nacional (Flona) de São Francisco de Paula, no dia 29 de setembro. Em meio a uma paisagem diferente da habitual, os alunos puderam conhecer um pouco mais sobre a fauna e a flora características da floresta ombrófila mista, a Mata de Araucária, presente no local.
Alunos foram preparados para o desafio
Apesar de não avistar muitos animais silvestres durante a saída, no percurso da trilha para a Cascata Bolo de noiva, as turmas encontraram diversas pegadas e rastros destes animais.
A realização da trilha ainda contou com a participação especial de dois profissionais que estavam pela Flona naquele dia, Alexandre Francisco Binotto, Engenheiro Florestal e Iuri Buffon, Tecnólogo em Meio Ambiente, que acabaram enriquecendo ainda mais a aula.
Além das belas paisagens e do conhecimento adquirido, a saída de Campo das turmas 704 e 705 teve ainda um divertido momento de socialização durante o almoço.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *